Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Outubro, 2009

Sem fonte, infelizmente.

Sem fonte, infelizmente.

Assim afirma o Secretário da Cultura, Silvestre Gorgulho, sobre o boato que semeia Brasília em relação a Feira do Livro deste ano. Se o evento irá acontecer ou não, é uma questão que até agora está gerando suspense na população local. A Feira, já tradicional na cidade, está em sua 28ª edição  com estimativa de aproximadamente 700 mil leitores.

Sem local definido, os responsáveis pela realização do evento (além de Gorgulho, o secretário adjunto, Beto Sales e representantes da Câmara do Livro) se encontraram ontem para discutir o seu destino. “Estamos querendo uma área coberta e pode ser no Conjunto Nacional, foyer do Teatro Nacional e Biblioteca Nacional. Está tudo em volta da rodoviária, estação do metrô o que facilita para a popualação”, conclui Gorgulho.

Se no primeiro ano em que comemoramos, oficialmente, o dia nacional da leitura, não tiver a tradicional Feira do Livro na Capital do país, isso será, de certa forma, uma contradição ao sentimento de incentivo ascendido (aparentemente) ao público leitor. Se o Brasil lê mais, isso já é outra questão, mas uma coisa é certa: a tentativa de fazê-lo um país de pessoas não tão ignorantes assim (quanto a herança de um povo que não tem interesse pelo “culto”) não deve parar no meio do caminho. A visão de que nosso país não tem interesse cultural, deve ser esquecida, assim como nossos antepassados, que trouxeram essa “mania” de que ler não nos acrescenta em nada. As pessoas precisam cobrar das autoridades e entidades responsáveis, para que o evento seja lembrado e enriquecido a cada ano. “É um desafio para a Câmara do Livro, para a Secretaria de Cultura, para mim, pessoalmente, para a sociedade brasiliense, enfim, para Brasília”, confessa o secretário.

“Palavras mudam o mundo”, assim foi a proposta mantida pela 27ª edição do evento literário. E assim merecemos, ao menos, acreditar que pode ser realmente uma verdade.

Anúncios

Read Full Post »

Preso aos 76 anos

O cineasta, Roman Polanski, finalmente "julgado" pelo crime cometido anos atrás.

Acusado de embebedar e estuprar a atriz Samantha Gailey há 31 anos, quando ela tinha 13, o cienasta europeu Roman Polanski foi preso aos 76 anos  indiciado pelo crime.

Responsável por obras-primas do cinema como Repulsa ao sexo, O bebê de rosemary e O inquilino,  Roman Polanski entrou em um  roteiro que daria uma ótima história nas telas de cinema. O personagem principal, no entanto, era ele mesmo.

O caso, resolvido esta semana pela Justiça do estado da Califórnia, estava em aberto desde 1977. Nesse meio tempo, os advogados de Polanski tentaram diversas vezes conseguir o abandono das acusações, mas sempre fora recusado pelos juizes. O acusado chegou a entregar cerca de US$ 225 mil a Samantha para que ela encerrasse o processo civil, no entanto, isso não aconteceu e Polanski foi impedido de entrar em solo americano para evitar complicaões. Deixou de visitar o país, inclusive, para receber o Oscar pela direção de O pianista (2002).

Foi preso enquanto estava hospedado em um hotel em Zurique, onde iria receber um prêmio no festival de cinema local. Votos de nomes reconhecidos no cinema, como Woody Allen, Pedro Almodóvar e Martin Scorsese, foram levados a público pedindo que não prendessem o cineasta. Até mesmo a vítima se questionou sobre a necessidade do cumprimento da prisão de Polanski. “Muito tempo se passou para que ele seja preso agora”, revelou Samantha Gailey.

A polêmica surgiu e gerou discussão entre fãs e profissionais do cinema  e da justiça. “Não há por que não cumprir um mandado de prisão válido, contra qualquer um”, disse o porta-voz do Ministério da Justiça suíço, Guido Ballmer.

.

Cinemas suíços exibirão documentário sobre o caso de Polanski

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u633557.shtml

Read Full Post »