Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Fevereiro, 2011

Matéria publicada pelo Jornal de Brasília no dia 14 de janeiro


A internet hoje leva ao mundo inteiro o conceito que um dia o sociólogo canadense Marshall McLuhan chamou de Aldeia Global. Um lugar onde não haveria distância entre uma pessoa e outra, mesmo se morassem em lugares distantes: abraçar o planeta seria algo plenamente possível com apenas um clique no mouse.

Para a segunda leva de apresentações do projeto Sai da Rede, promovido pelo Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), de hoje a domingo, novos artistas da geração online marcam presença: a banda paraibana Burro Morto, a cantora pernambucana Lulina e o grupo paulistano Coletivo Instituto.

“A gente conseguiu o primeiro contato para sair da Paraíba através da internet, pelo Myspace. Acho que 90% dos nossos contatos de shows e de conhecimento artístico vieram por meio dela. Como artista, não tem como não pensar nessa ferramenta que está mudando a maneira de se trabalhar em banda, e é o que está fazendo essa revolução de uma nova visão cultural”, conta Daniel Ennes Jesi, contrabaixista da banda Burro Morto.

Lulina concorda e reforça que sem a ajuda da web jamais poderia ter impulsionado a carreira artística. “Devo tudo a internet. Se não fossem as pessoas comentando ‘Lu, gostei muito do seu trabalho’ eu nunca teria me sentido animada para continuar. Sem ela, acho que até hoje estaria divulgando meu trabalho só para os meus amigos”.

Daniel Takara, produtor musical e um dos criadores do Coletivo Instituto vê a rede como responsável pelo surgimento da nova geração e facilitadora do processo de se fazer música atualmente. “A internet foi um divisor de águas muito grande. A cena independente conseguiu se profissionalizar muito. Divulgo meu trabalho porque ela passou a ter uma força enorme no que eu faço”, diz.

O primeiro show, comandado pelo Burro Morto, leva o afrobeat, a psicodelia e o rock como embalo para o som que faz. “A gente é muito calcado pelo afrobeat porque o nordeste tem uma coisa muito peculiar da dança, pela maneira que se respira, que se fala; as coisas aqui são muito cantadas. E o natural da fala, da dança, soa muito natural com o afrobeat, mas a gente também tem outras influências como o rock progressivo”.

A pernambucana, que se apresenta amanhã, no entanto, busca inspiração nas pequenas coisas do dia a dia, no ídolo Tom Zé, no indie rock e no que ela diz ser “aquela mistureba toda”. “Me inspiro na vida real-imaginária que eu vivo. Muita gente fala que uso metáfora, uso minhoca para falar da morte, por exemplo. Às vezes descrevo o cotidiano num formato diferente, apenas mascarado, mas as coisas por trás são cotidiano”. A tal “mistureba” forma um gênero bem “lulinístico” de ser e se transforma em sua “canção popular melodramática”, cheia de referências, ironias e contemporaneidades.

No domingo, o Coletivo fecha o segundo final de semana de atrações. A partir de um apanhado de estilos, une hip hop à eletrônica e ao jazz. O resultado disso não poderia ser descrito de outra forma: “O que mais nos influencia é a música de qualidade”, revela Takara. O grupo, que geralmente leva convidados para acompanhá-lo nos palcos, terá Kamau, Emicida e Funk Buia no encontro do CCBB. “A gente trabalha muito com artistas que têm seu trabalho solo e  que falam muito do cotidiano. A nossa influência tem base em expressões”, define.

O projeto Sai da Rede começou na semana passada com a ideia de propagar a voz de artistas que usam a web como principal ferramenta, mas que não são tão conhecidos pelo grande público.

Os três primeiros dias do evento confirmaram que a internet, de fato, reduz as barreiras entre as pessoas e serve como boa divulgadora de novos talentos. Cerca de 360 pessoas ocuparam os quatro cantos do Teatro I durante os três dias de shows, ao som de Lucas Santtana, Tiê e Isaar. Ainda que com cadeiras extras, o espaço não foi suficiente para os apreciadores da música independente, sendo necessário colocar um telão do lado de fora para reproduzir os shows aos que não conseguiram ingresso.

Na próxima semana, se apresentam Letuce, Tulipa Ruiz e João Brasil.

O texto também pode ser visualizado pelo link: http://www.clicabrasilia.com.br/site/noticia.php?id=320208&secao=V

Read Full Post »